Oficina de circo para alunos do CSC (MG) é destaque na MGTV

Postado por admin

Alunos do Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora (MG) fizeram parte de uma matéria do programa MGTV, da Rede Globo, sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). O objetivo foi mostrar um meio não-convencional de concentração para a prova. Lá na escola, aulas de circo foram oferecidas aos estudantes no intuito de manter o equilíbrio mental, o foco e o controle emocional, com a orientação da companhia circense Amplitud.

No espaço, foram montados três circuitos de atividades para os alunos da 3ª série do Ensino Médio: equilibrismo (com pernas de pau e rola-rola), malabarismo (com bambolês, bolinhas e claves) e acrobacias (com rolamentos, cambalhotas e piruetas). Antes de iniciar a prática, os estudantes sentaram em círculo e receberam instruções da professora circense Deborah Lisboa. “A atividade circense é excelente para pessoas que entendem que corpo e mente têm que trabalhar juntos. A prática da atividade física nos ajuda a oxigenar o cérebro e experimentar novas possibilidades. Quando nos colocamos num desafio corporal, numa nova atividade, acabamos levando isso para a vida. O convite do circo na escola é possibilitar essa experimentação para que vocês mesmos percebam que isso não é uma teoria”, afirmou Deborah aos estudantes.

Os alunos do CSC tiveram a oportunidade fazer algo descontraído, relaxante e também que os levou à reflexão. “É um momento importante para os alunos distraírem, socializarem, desenvolverem outras habilidades. É uma ótima chance para fazer o exercício do erro, do acerto, da tentativa, da impossibilidade e, assim, descobrirem a importância da determinação”, garante a psicóloga Maria Fernanda Pedroso. “A atividade circense é muito completa, porque ela desafia, ela ensina a frustração, o equilíbrio, a persistência. Todos elementos importantes para se fazer uma prova importante como o Enem, além, é claro, dos conhecimentos científicos”, complementou o diretor Flávio Sousa.

Divididos espontaneamente entre os circuitos propostos, os estudantes se divertiram e também queimaram algumas calorias. Foram quase duas horas de exercícios que exigiram muita flexibilidade, mobilidade e equilíbrio. Depois que já tinham dominado um pouco da técnica, todos os grupos de malabaristas, equilibristas e acrobatas fizeram uma breve apresentação aos colegas do que aprenderam. Por fim, os jovens novamente se reuniram numa grande roda, em que contaram como foi a experiência vivida.

 “Foi muito bom para percebermos a importância de um ajudar o outro, de concentração, até de descanso para ajudar nas futuras provas. Os comentários foram muito positivos. Muita gente disse que esse tipo de atividade poderia acontecer mais vezes”, disse Thiago Nunes Wurtz, aluno do 3E. “Foi uma experiência muito boa. Eu fiquei no malabarismo e, no início, foi bem difícil, mas depois, você vai treinando com duas bolas até ficar bem firme e conseguir pegar a terceira bola. Uma analogia para a vida é que quando a gente erra, se tentar de novo, quantas vezes for necessário, uma hora dá certo. E dar pequenos passos de cada vez. Não adianta querer dar um passo maior que a perna”, afirmou Otávio Augusto Caçador, aluno do 3F. “Achei que não ia conseguir me equilibrar naquele rola-rola. Também achava que não era capaz de me concentrar, mas eu consegui e foi muito bom. E o bacana foi perceber, no corpo físico, o que somos capazes de fazer com a mente. Estou vivendo um momento muito grande de estresse, de auto cobrança, e a oficina serviu para extravasar tudo isso. Saí daqui leve”, conta Maria Fernanda Rodrigues Almeida, do 3G.

“Que bom que eles conseguiram fazer a associação da técnica com o momento em que estão vivendo de pré-vestibular, com todas as pressões que a gente se coloca, ansiedade em achar que essa é a única oportunidade que de passar no vestibular. Saber aceitar erros e fracassos é fundamental, porque a vida não é feita só de vitórias. Não existe ninguém bom em tudo e ruim em tudo. Aceitar quem você é muito importante para saber fazer escolhas. E ser feliz é fundamental para se fazer algo bem feito. Essa foi a mensagem que queríamos deixar para esses estudantes”, disse Deborah.

 

2018.10.08



Sem Comentários

410 Visualizações

Deixe um comentário :