HCNSC alcança resultados positivos com a implantação do Protocolo de Manchester

Postado por admin

Desde o início do ano, o Hospital de Clínicas Nossa Senhora da Conceição (RJ) vem contabilizando resultados positivos no atendimento de urgência e emergência, quando foi implantado o Protocolo de Manchester (PM). A iniciativa, é um processo que classifica os pacientes através de cores, e, devido ao aumento no número de pacientes no Pronto Atendimento (PA), foi implantada na Casa.

O coordenador do Pronto Atendimento, Dr. Ricardo Martello, esteve na Rádio FM 107, e falou sobre a mudança do Hospital após a implantação do PM. “Em outubro do ano passado, o Hospital aderiu a Rede de Urgência e Emergência (RUE) e, com isso, o PA dobrou o número de atendimentos. Por isso, a importância de implantar o Protocolo de Manchester, que visa priorizar os atendimentos de alta complexidade e não mais por ordem de chegada. Assim, conseguimos melhorar e agilizar o nosso atendimento, sem correr o risco de “perder” um paciente por falta ou atraso no atendimento”, ressaltou.

Martello também explicou como funciona o Protocolo de Manchester. “O paciente é atendido pela enfermeira da classificação de risco, que classifica o paciente em azul, verde, amarelo, laranja ou vermelho, e encaminha ao médico do Pronto Atendimento que determina qual a medida a ser tomada. Casos em que o paciente se enquadre nas cores azul e verde podem ser referenciados para as unidades de saúde do Município (Unidade de Pronto Atendimento – UPA, Unidades Básicas de Saúde, entre outras) ”, disse.

Outra questão importante apontada pelo médico foi a procura de pacientes à urgência e emergência sem a real necessidade, aqueles que não se enquadram na classificação estabelecida pelo Pronto Atendimento. “Muitos pacientes chegam ao Hospital com doenças e infecções de baixa complexidade (dor de garganta ou resfriado), sintomas que devem ser tratados nas unidades de saúde como a UPA e nos PSF’s do bairro. Por conta disso, o PA fica sobrecarregado e com o fluxo prejudicado”, concluiu.

Como funciona o Protocolo de Manchester?

A triagem analisa diversas variáveis que implicam a gravidade do paciente: intensidade das dores, sinais vitais, sintomas, glicemia, quadro clínico, entre outros indicadores que irão variar de acordo com o Hospital. Abaixo, confira as cores e as características de cada uma na hora do atendimento:

  • Azul (não urgente): Casos de baixa complexidade, o paciente deve ser tratado ambulatorialmente.
  • Verde (pouco urgente): Casos pouco graves, que podem inclusive serem tratados ambulatorialmente.
  • Amarelo (urgente): neste caso o paciente necessita de avaliação, o caso não é considerado emergência, e o paciente já têm condições de aguardar o atendimento.
  • Laranja (muito urgente): o paciente necessita de atendimento o mais rápido possível.
  • Vermelho (emergência): neste caso o paciente necessita de atendimento imediato.

2018.10.01



Sem Comentários

437 Visualizações

Deixe um comentário :