Transição de seguimentos é tema de encontro de Educadoras do CSC-MG

Postado por admin

A mudança de segmento escolar traz um universo totalmente novo para os estudantes, ainda mais quando envolve, também, mudança de turno escolar, como é o caso dos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental I do Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora (MG), que, em 2018, passam a estudar na parte da manhã, no Fundamental II. Pensando em amenizar toda a ansiedade que essa passagem pode ocasionar, a Equipe Pedagógica do Colégio promove, sempre no fim do ano, um pequeno encontro com as turmas do 5º ano. Reunidos no Salão de Esportes, os alunos são apresentados à supervisora Giselle Imbelloni, à coordenadora de série Cristina Farah, à psicóloga Fernanda Pedroso e à orientadora Benita Costa – profissionais responsáveis pelo Fundamental II, que esclarecem dúvidas dos estudantes sobre horários, professores, disciplinas, etc.

Antes desse encontro, a psicóloga Anna Paula, a orientadora Alda e a coordenadora de série Dodó, fizeram um trabalho de preparação com os alunos, em sala de aula. “O projeto Hábito de Estudo culmina com esse encontro. Ao longo de todo o ano esse trabalho busca ajudar nossos meninos e meninas na construção de hábitos saudáveis, inclusive o hábito de estudar. Buscamos frisar que o hábito é algo que se faz naturalmente, não é algo automatizado, repetido sem reflexão. É preciso pensar para fazê-lo”, explica Alda. Segundo as educadoras, o objetivo é fazer, através de paráfrases e associações com histórias contadas, que eles consigam assimilar o hábito de estudo como um processo natural de quem está crescendo como pessoa, crescendo em suas atitudes. Sinalizar que o crescimento é de dentro para fora e que o estudo é uma consequência de quem cuida de si.

Com o Hábito de Estudo, realizado há mais de dez anos no CSC-MG, as educadoras perceberam que as crianças tinham muitas curiosidades e dúvidas a respeito da próxima etapa escolar por que irão passar. Por isso, decidiram fazer esse encontro para esclarecer essas pequenas questões que geram tanta insegurança e ansiedade e para que eles cheguem mais tranquilos no 6º ano. “Nossa finalidade é resgatar tudo o que eles já passaram até chegar aqui e mostrar que, a cada fase da vida, conforme a gente cresce, também cresce a nossa responsabilidade. Da mesma forma que o Fundamental II vai nos exigir mais, ele também nos reserva muitas coisas boas”, explicou a supervisora Rosângela Teixeira.

2017.12.11



Sem Comentários

38 Visualizações

Deixe um comentário :