Sustentabilidade e Civismo na Creche Monteiro Lobato

Postado por admin

A iniciativa da Creche Monteiro Lobato,  trabalha a conscientização ambiental com 181 crianças. Quando elas não estão na sala de aula, aprendem a cuidar da horta orgânica, onde são cultivados os alimentos que vão consumir nas refeições.

A creche é administrada pela Congregação das Irmãs de Santa Catarina. O projeto desenvolvido na área ambiental começou no início deste ano com o reaproveitamento da água da chuva. Ela cai na calha e desce até uma bombona onde é filtrada. Depois é utilizada na limpeza dos espaços internos pelas funcionárias e também na horta.

A compostagem também começou a ser implementada. Os restos de alimentos e cascas são cobertos com um pouco de terra dentro de uma lata. Em três meses a mistura vira adubo orgânico e pode ser usado no cultivo das hortaliças. “Estamos deixando de colocar mais de uma tonelada de lixo na rua por mês”, disse a coordenadora da creche Karine Rezende.

A etapa de conscientização das crianças foi bem sucedida e impulsionou o projeto. A meta agora é transformar a creche em um polo de reciclagem. Entre as iniciativas que estão sendo pensadas, está o reaproveitamento do óleo de cozinha, de garrafas pet e de latinhas. “A gente fala para as crianças sobre desperdício. Contamos também histórias sobre o rio poluído e o limpo. Isso tudo faz parte dos projetos que fazemos tanto no coletivo quanto individualmente”, afirmou a assistente pedagógica Nathália Oliveira.

Clique aqui para assistir o vídeo

 Fonte: G1

Independência do Brasil – Creche Monteiro Lobato estimula o civismo entre as crianças

Dando continuidade ao projeto de Civismo implantado no início do ano, a Creche Monteiro Lobato, administrada pelo Colégio Santa Catarina (CSC), promoveu, na última sexta-feira (05/09), um ato patriótico para marcar o dia da Independência do Brasil, comemorado em 7 de setembro. Todas as 181 crianças atendidas na instituição foram levadas para o pátio, onde acompanharam o hasteamento da bandeira do Brasil, cantaram o Hino Nacional e ainda assistiram a uma apresentação de música dos alunos da oficina de musicalização da Obra Social Santa Catarina, no Jardim Casablanca.

Segundo a assistente pedagógica da Creche, Nathália Maria, as crianças conseguiram assimilar o conteúdo apresentado ao longo do ano. “Nós fizemos um ensaio um dia antes, explicando que íamos cantar o hino nacional e uns já saíam da sala cantando. Foi muito interessante. Todas as semanas nós fazemos um momento cívico em sala e uma vez por mês com todo mundo reunido, e tem criança que pede ‘tia, você põe aquela música de colocar a mão no coração?’. Eles não sabem o nome, mas entendem o que é. E assim que começa a tocar eles já levantam, colocam a mãozinha no peito e cantam. Os mais velhos, de três anos, já sabem na ponta da língua”.

Segundo a pedagoga, foi trabalhado com as crianças o hino com desenhos, através de um vídeo feito exclusivamente para crianças. Além disso, a Copa do Mundo este ano, realizada no Brasil, foi um fator extra para somar ao projeto. “A gente aproveitou para mostrar que os jogadores cantam o hino e que cada país tem o seu. E foi engraçado que, no ensaio, quando levantamos a bandeira, eu perguntei que bandeira era aquela. Aí um menino me respondeu que era a do Neymar. Eu expliquei, disse que era do Brasil, time para o qual o Neymar jogou. Mas o interessante é ver que existem associações. Tem pais que contaram que quando assistem a jogo em casa e toca o hino, a criança levanta e põe a mão no coração”, conta Nathália feliz, ao ver que o trabalho rende bons frutos.

O objetivo da iniciativa, segundo Karine Rezende, coordenadora da creche, é tornar a criança mais cidadã, com mais valores incorporados. Para isso, desde que o projeto foi colocado em prática, as educadoras têm buscado passar um pouco da história do Brasil, mostrar o que é a bandeira, o que representa o hino, e as crianças aderiram com muita facilidade. “Esse momento cívico de sexta foi o nosso Sete de Setembro. Reunimos a direção do colégio, todo o nosso pessoal e o da Obra Social. E foi muito bacana. As crianças ficaram encantadas e nós também. Os olhinhos delas brilhavam. Todos ficaram quietinhos, em posição de respeito. Foi lindo”, conta Karine, que confirma a continuação do projeto no próximo ano e acrescenta: “Queremos estender essa parceria entre Obra Social e Creche, pois as duas se completam, cada uma com seu foco de trabalho, mas a nossa intenção é estreitar nossos laços”.

Um pouco mais do projeto

Para muitos brasileiros, o amor à pátria só vem à tona em época de Copa do Mundo. Mas o patriotismo deve ser perene, não sazonal. E o civismo vai mundo além de vestir verde e amarelo ou exibir no carro a bandeira nacional. Civismo também diz respeito aos valores e às práticas políticas de um país, que devem ser cultivados desde cedo. Por isso, a coordenação da Creche Monteiro Lobato instituiu o um projeto para incentivar o patriotismo entre as crianças.

Ao longo do ano, todas as turminhas de dois e três anos organizam atividades sobre os símbolos do país e apresentam para as outras salinhas. “Queremos mostrar aos pais a importância de cultivar esses valores desde cedo. Eu sei que daqui a pouco essas crianças vão sair da creche e ir para alguma escolinha e não sabemos se esse tipo de incentivo terá continuidade, mas enquanto elas estiverem aqui queremos passar um pouco de cultura a cultivar alguns valores”, enfatiza a coordenadora da creche.

Neste primeiro ano de projeto, as educadoras falaram da bandeira nacional brasileira, mostraram as cores e o significado de cada uma delas. Cada sala confeccionou a sua própria bandeira. Algumas pintaram, outras desenharam, ou fizeram colagem e ficou anexada na sala de aula. Além dos encontros mensais, em que se reúnem as seis salas envolvidas no projeto, cada educadora pode planejar atividades individuais também, inclusive cantando o hino. “Antigamente, os cadernos escolares vinham com a letra do Hino Nacional e muitas escolas tinham um momento cívico pelo menos uma vez por semana, mas isso se perdeu. Então, queremos resgatar isso, queremos que as crianças saiam daqui sensibilizadas”, afirma Karine.

2014.09.22



Sem Comentários

500 Visualizações

Deixe um comentário :