Serviço de Cardiologia do HST realiza cirurgia inédita na região

Postado por admin

Mais uma cirurgia inédita foi realizada no Hospital Santa Teresa (RJ). A equipe do Serviço de Cardiologia, comandada pelo Dr. Nélio Gomes Júnior, realizou no dia 15 de janeiro um procedimento utilizando o dispositivo Mitraclip, que possibilita que a cirurgia cardíaca seja feita sem invadir o paciente. O procedimento foi feito para tratarem uma paciente de 84 anos com insuficiência mitral grave, doença que acomete uma das válvulas do coração, impedindo o retorno do sangue. A válvula fica alargada, resultando em uma vedação ineficaz devido à distância entre os folhetos.

Caso raro, cirurgia inédita

O caso da paciente é bastante incomum. Segundo o Mitraclip, foram identificados apenas 100 mil casos em todo mundo desde 2015, sendo 379 casos no Brasil, 90 no estado do Rio de Janeiro e, este, o primeiro na região serrana, tornando a cirurgia inédita na região de Petrópolis. Além do quadro citado, a paciente possui um histórico de múltiplas doenças associadas, como arterial coronariana, aneurisma de aorta e renal crônica. Ou seja, uma cirurgia invasiva colocaria em risco a vida da paciente.

Após discussão do quadro da paciente pelas equipes clínica, cirúrgica e intervencionista do Serviço de Cardiologia, optou-se pelo tratamento de reparo sobre a pele da válvula mitral através do Mitraclip.

Como funciona?

Por meio de uma veia na região da virilha, os médicos acessaram o lado direito do coração e atravessaram a divisão entre os átrios (cavidades do coração). No local, do lado esquerdo, foi posicionada uma órtese em forma de clip que passa a pinçar os folhetos alargados, aproximando-os e reduzindo o retorno de sangue causado pela disfunção da estrutura que acometia a paciente. Após o procedimento, a equipe médica já observou melhoras na falta de ar e cansaço que antes a paciente sofria.

“O avanço tecnológico nos possibilita oferecer novos tratamentos e perspectivas aos nossos pacientes. E a cada nova tecnologia, conseguimos ser menos invasivos, como foi este caso com a MitraClip. É um procedimento que traz uma evolução fantástica para os pacientes, diminuindo riscos, tempo de internação e infecções. A paciente com apenas dois dias recebeu alta, sem qualquer infecção, com melhora dos sintomas de forma rápida e com uma excelente evolução. Agora podemos oferecer esse tipo de cirurgia para os pacientes do Hospital Santa Teresa”, conclui o chefe do Serviço de Cardiologia, Nélio Gomes Jr.

Fotos:

2020.01.28



Sem Comentários

154 Visualizações

Deixe um comentário :