Programa Salus Vitae é destaque na matéria de capa da revista “Melhores Práticas”

Postado por admin

Com o título “Um problema por vez – Como o modelo de ciclo de aprendizado está sendo usado em hospitais e programas da ANS”, a reportagem de capa da edição 19 da “Melhores Práticas”, publicação referência nacional em Saúde, Qualidade e Acreditação, destaca a experiência de sucesso que a Diretoria Corporativa de Saúde, Medicina e Segurança do Paciente vem atingindo à frente do Programa Salus Vitae, nas Casas de Saúde e Assistência Social da ACSC.

No editorial, a sócia-diretora da Gestão de Projetos em Saúde, Gilmara Espino, chama atenção ao fato de que “esta edição da revista se empenha em trazer como assunto principal a forma exitosa com que a Associação Congregação de Santa Catarina está traduzindo as Colaborativas do Institute for Healthcare Improvement – IHI para as suas unidades”.

A reportagem mostra como a Colaborativa, metodologia de Melhoria Contínua do IHI, propõe consolidar resultados e melhorar o cuidado ao paciente. O Programa Salus Vitae é mencionado como caso prático de sucesso neste quesito.

“O Salus Vitae abraça todas as unidades que prestam cuidado de saúde e assistência social na ACSC em um objetivo comum, que é a redução do sofrimento para pacientes e familiares, e não apenas a redução do dano”, afirma a diretora corporativa de Saúde, Medicina e Segurança do Paciente, Dra. Camila Sardenberg.

Doze meses após o início do programa, as UTIs participantes da Colaborativa atingiram resultados bastante significativos no segmento hospitalar: conseguiram reduzir em 26% a infecção do trato urinário associada a sonda vesical de demora; reduzir em 47% a infecção de corrente sanguínea associada a cateter venoso central; e reduzir em 24% a pneumonia associada à ventilação mecânica.

A matéria também menciona os resultados positivos atingidos pelas 21 equipes das Casas da Saúde e Assistência Social participantes do ISIA (“Improvement Science In Action” ou Ciência de Melhoria em Ação), que durante nove meses de trabalho trilharam uma jornada na utilização da metodologia da Ciência da Melhoria para resolver diferentes problemas relacionados ao cuidado.

No Hospital Santa Catarina, por exemplo, a equipe conseguiu reduzir a média do tempo entre prescrição e administração de antibiótico de 151 para 34 minutos (indicador de processo). Na OS Santa Catarina, por sua vez, houve uma redução da média de receitas com falha, de 8,48% para 0,34%, e da média de dispensações com troca de medicamento, de 2,18% para 0,22%.

Ainda de acordo com a reportagem, para 2017, um dos objetivos da ACSC é formar especialistas em Ciência da Melhoria dentro da Instituição, para que novas Colaborativas possam ser aplicadas. A diretoria também pretende formular um novo trabalho para combater a Sepse nas unidades do grupo, com o envolvimento dos prontos-socorros, alas de internação e UTIs.

2016.08.29



1 Comentário

980 Visualizações

  1. Marta C Silva disse:

    Há 1 ano terminei minha pós graduação em saúde coletiva e por ter estudado muito esta área gosto deste assunto.
    Parabéns pela iniciativa adorei este trabalho de vocês.
    Marta Cristina Silva, chefe do setor de fisioterapia do ACSC Lar Madre Regina.

Deixe um comentário :