Parada Cardiorrespiratória é tema de palestra no HCNSC

Postado por admin

A equipe de enfermagem do Hospital de Clínicas Nossa Senhora da Conceição (RJ) recebeu, nos dias 4, 5, 11 e 12 de junho, um treinamento sobre Parada Cardiorrespiratória (PCR). Ministrado pelo médico do Hospital, Lucas Campos, o treinamento foi baseado nos protocolos recomendados pela American Heart Association (AHA), com objetivo de capacitar todos os profissionais para o atendimento de urgência ao paciente em parada cardiorrespiratória.

“A PCR é um evento inesperado e que exige atendimento imediato. Há, literalmente, uma vida em suas mãos. Podemos considerar o momento mais crítico do cuidado ao paciente, sendo necessários seriedade e compromisso, e sempre darmos ao máximo de nossa capacidade para evitarmos cometer erros”, finaliza o palestrante Lucas.

A Supervisora do Pronto Atendimento, Érica Stelmann, ressaltou a importância da capacitação e do trabalho em equipe. “Somos uma unidade de urgência e emergência e lidamos constantemente com pacientes em parada cardiorrespiratória. É de extrema importância que nossa equipe esteja atualizada para prestarmos um atendimento de excelência”, diz.

HCNSC cria “Equipe PCR” no PA para atender a Parada Cardiorrespiratória

Durante o treinamento, o médico e palestrante Lucas Campos falou sobre a importância da criação da equipe de PCR no HCNSC. “Classificar as funções de cada integrante da equipe, apresentar a funcionalidade é importante para momentos críticos, como de uma PCR”, disse.

O médico também enfatizou que, em uma PCR, a comunicação em alça fechada e o triângulo de ressuscitação é de extrema importância, bem como está bem definido e vivenciado entre os membros da equipe, pois aumenta a qualidade da RCP e evita erros humanos.   

O projeto é formado por cinco pessoas (Líder, Medicação, Vias Aéreas e 2 colaboradores na Compressão Cardíaca), cada integrante recebe um boton nas cores: Vermelha – Medicação e Acesso Venoso, Amarelo – Compressões Torácicas e Verde – Vias Aéreas e Oxigênio. “Percebemos, na nossa vivência em situações de emergência, a necessidade de organizar o time, escalar cada integrante em uma função para otimizar tempo, organizar o cenário e minimizar a perda de recursos. A implantação dos botons possibilitou ao líder a identificação da função de cada integrante (leitura visual), melhorando a comunicação, a integração da equipe, agilizando o início da RCP, assegurando uma assistência eficaz ao paciente, permitindo uma melhor resposta à vida”, finaliza a enfermeira de Treinamento e Desenvolvimento, Suzana Massi.

Confira fotos do treinamento:

2019.07.23



Sem Comentários

146 Visualizações

Deixe um comentário :