HST tem três trabalhos aprovados no 3º Fórum Latino-americano de Qualidade e Segurança na Saúde

Postado por admin

O Hospital Santa Teresa (RJ) teve três projetos de melhoria aprovados no 3º Fórum Latino-americano de Qualidade e Segurança na Saúde. Durante o evento, realizado em São Paulo nos dias 29 e 30 de agosto, as equipes do HST puderam apresentar seus resultados e compartilhar suas experiências de melhoria em processos hospitalares primordiais.

Os projetos aprovados foram: “Redução do tempo de espera no pronto atendimento”, “Redução do tempo de liberação de leito (TLL)” e “Redução no tempo de internação de pacientes eletivos”. Os três projetos selecionados pela organização do Fórum foram desenvolvidos e implementados pelas equipes da Qualidade do HST juntamente com as lideranças e colaboradores dos setores envolvidos.

Redução do tempo de espera no pronto atendimento (PA)

Antes deste projeto, o tempo médio de espera no PA era de 46 minutos. Foram realizadas as seguintes ações: modificação do fluxo de autorização de alguns convênios, mudança na forma de acionamento das especialidades médicas, implantação da coordenação médica, envolvimento da equipe multidisciplinar através da divulgação semanal do indicador e alteração do fluxo de atendimento às intercorrências nos demais setores. Com isso, houve redução de 24% do tempo médio, que atualmente está em 35 minutos. A meta, segundo o diretor Executivo, é melhorar ainda mais: “Estamos trabalhando diversas frentes para otimizar o tempo de atendimento, diminuindo assim a espera. O pronto atendimento do Hospital Santa Teresa recebe em média 6 mil pacientes por mês. Mas é nossa meta melhorar a cada dia o nosso atendimento e servir melhor aqueles que dependem de nós”, afirma o Dr. Leonardo Menezes.

 Redução do tempo de liberação do leito (TLL)

Antes do projeto, o tempo de liberação do leito para internação de novo paciente era de 4 horas. Foram implantadas várias mudanças como: modificação do processo de alta médica, acompanhamento em tempo real da higienização no sistema, criação de painel com cronômetro para fácil visualização nos setores, colocação de aviso nos quartos com solicitação de liberação do leito pelo paciente em até 60 minutos e criação de sala pós-alta. O engajamento das equipes na implantação destas mudanças reduziu o TLL à metade. Os resultados obtidos nas unidades-piloto, Santa Isabel e Irmã Gregória, foram tão significativos que as mudanças foram disseminadas para outras unidades de internação. Atualmente, 78% das unidades abertas do HST tem TLL de até 2 horas.

 Redução do tempo de internação de pacientes eletivos

O projeto reduziu o tempo de internação de pacientes eletivos em quase um terço. Após a implementação das mudanças, a média de tempo caiu de 84 para 29 minutos em média. Para atingir o objetivo, foi criado um grupo de comunicação via web em tempo real para a troca de informações entre os setores envolvidos, além de inclusão de informações-chave no mapa cirúrgico, liberado na véspera da internação. Desta forma, o processo de reserva de leito foi aprimorado e o tempo de espera para autorização da internação, reduzido. Houve também ajuste das funções exercidas pelo setor de internação, com separação do fluxo de internações de urgência de internações eletivas; ajuste no horário de funcionamento da tesouraria até às 20h e modificação do processo de admissão de pacientes para exames na hemodinâmica. Também foi criada uma unidade para internação de pacientes em day clinic e desenvolvidas estratégias junto às equipes de cirurgia para otimização da agenda do centro cirúrgico.

2017.09.04



1 Comentário

534 Visualizações

  1. Geovane Castro disse:

    Parabéns a todos os envolvidos nos três projetos. Assim, e aos poucos, vamos aperfeiçoando as práticas e melhorando nossa performance.

    Orgulho define.

Deixe um comentário :