HST atinge marca de oito meses de ITU Zero em três UTIs

Postado por admin

Mais uma meta significativa foi alcançada: as três Unidades de Terapia Intensiva do Hospital Santa Teresa (RJ) atingiram, em abril deste ano, a marca de oito meses sem Infecção do Trato Urinário associada a dispositivo (cateter). As UTIs São José, São Judas Tadeu e Coronariana, juntas, conseguiram a marca de ITU Zero.

Uma das mais complexas UTIs, a São Judas Tadeu, setor que recebe os traumas ocorridos em Petrópolis, levou um pouco mais de tempo, mas agora celebra também sua marca de ITU Zero há oito meses. Para se ter uma ideia são 40 leitos somados nas três Unidades, o que demonstra a importância da conquista.

Esse novo feito só foi conquistado graças ao comprometimento de todos os profissionais das UTIs, que compraram a ideia e, junto com a equipe de Segurança do Paciente, sob a liderança da Dra. Daniela Menezes, gerente Regional de Qualidade e Segurança do Paciente, agora comemoram essa conquista.

Além da adesão ao blundle de inserção e de manutenção do Cateter Vesical de Demora (CVD), que é um pacote de medidas a serem adotadas pelas equipes de assistências para evitar as infecções, outros fatores foram essenciais para o alcance da meta. “Não há dúvida de que a apropriação do processo pela linha de frente fez (e faz) toda diferença. Esta participação ativa da ponta associada à presença constante da liderança assistencial na análise de dados com o time trouxe uma cultura organizacional de melhoria contínua”, analisa a Dra. Daniela Menezes.

Outra ação crucial foi o empoderamento dos enfermeiros na hora do round. Foram descritos ainda os critérios para permanência do dispositivo que facilitaram o controle e retirada precoce do cateter pela equipe multidisciplinar após validação médica.

“Trabalhamos todos como guardiões do leito. Revisitamos técnicas de banho, escala de gravidade dos pacientes, posicionamento de cateteres. Trabalhamos junto à equipe multidisciplinar, estamos mais atuantes no round, questionamos a necessidade real do uso do dispositivo. Entendemos que somos capazes, que todos são importantes no processo de melhoria”, resumiu a supervisora da UTI São Judas Tadeu, Emmily Wanderley.

A busca pela taxa zero

Mesmo em algumas unidades a taxa de ITUs já ser baixa, a equipe não parou enquanto a taxa zero não foi alcançada e Daniela Menezes conta o segredo. “Para mim, o segredo é jamais se conformar com o status quo. Buscar taxa ZERO utilizando uma estratégia sólida para redesenhar sistemas. Foco, método e disciplina: esta é a razão do sucesso de toda a equipe multidisciplinar de nossas UTIs”, finalizou.

Fotos das equipes:

2019.05.28



Sem Comentários

99 Visualizações

Deixe um comentário :