Hospital Santa Teresa homenageia Irmã Valéria Welter

Postado por admin

A Farmácia Central do Hospital Santa Teresa (RJ) batizou o local de trabalho com o nome da Irmã Valeria Welter, em homenagem aos 50 anos de trabalho dedicados pela religiosa da Congregação das Irmãs de Santa Catarina ao setor. A Irmã faleceu em março de 2015.

A homenagem foi composta pela celebração de uma missa dedicada à Irmã Valéria com textos e falas. Após as bênçãos do frei Francisco Carvalho, as Irmãs da Congregação de Santa Catarina, em conjunto com a direção executiva, gerentes, supervisores e colaboradores, descerraram a placa indicativa: “Farmácia Irmã Valéria Welter”

O bom legado

Irmã Valéria Welter tinha orgulho de sua profissão de farmacêutica e de sua vocação religiosa. “Graças ao temperamento calmo que Deus me deu e ao ideal que o Espírito Santo me inspirou, sinto-me feliz em construir o Reino de Jesus Cristo, como religiosa farmacêutica, aqui em Petrópolis” afirmou certa vez.

Em resumo, alguns colaboradores e amigos definiram a Irmã como:

“Pessoa angelical, serena e que trazia a paz ao setor”.

“Pessoa cuidadosa, carinhosa, todo plantão de domingo vinha irmã Valéria dar o seu ‘bom dia’ e trazer um punhado de balinhas para adoçar o dia daqueles que no setor estava”.

“Era muito cuidadosa com o trabalho que realizava, fosse ele complexo ou simples como etiquetar a medicação”.

“Sempre serena, aceitava o novo”.

“Gostava de confraternização no setor”.

“Especial, acolhedora, carinhosa e cuidadosa com os colaboradores”.

“Primava pela decoração de natal, não podia faltar”.

“Era humana, antes de ser Irmã e ‘dona da casa’, tinha uma conduta impecável, nunca precisou se apresentar como farmacêutica, isso já era intrínseco nela”.

“O meu porto seguro, irmã, amiga… de conhecer só de olhar, de cuidar, consolar”.

“Conselheira, confidente, irmã do coração, pessoa que escutava e desabafava, preocupada com a qualidade do serviço, mas também com a pessoa humana”.

“Uma pessoa extraordinária, aberta a ouvir a opinião do funcionário, não tomava decisão sem consultar a opinião do funcionário, dedicada ao hospital como um todo: funcionário e Instituição, era uma mãe que respeitava e se fazia respeitar, além de ser muito grata”.

“Grande amiga, preocupada com tudo e todos, conhecia os funcionários pelo nome, e Irmã Valéria tinha um inseparável e valente cão que a acompanhava do Convento para a farmácia e na farmácia permanecia até dar a hora de voltar para a casa, gostava de comemorar e interagir”.

A religiosa nasceu em 27 de janeiro de 1930 e faleceu em 05 de março de 2015, aos 85 anos, deixando muitas saudades e um legado de bons exemplos e dedicação para todos que tiveram a oportunidade de conviver com ela.

2017.08.07



Sem Comentários

483 Visualizações

Deixe um comentário :