Financeiro Corporativo finaliza processo de centralização de pagamentos da ACSC

Postado por admin

A fim de otimizar os processos financeiros da Administração Corporativa e das Casas, ter uma operação mais eficiente e gerar indicadores mais precisos para negociações, a área corporativa Financeira concluiu, no mês de julho, um grande projeto de centralização de pagamentos. A ação foi viabilizada a partir de uma parceria com as áreas corporativas de Projetos, TI, Processos, Gestão de Pessoas, Comunicação, Jurídica, Contábil e Fiscal, além da diretoria corporativa e pontos focais das unidades.

O processo de centralização envolveu três departamentos da área corporativa Financeira: Contas a Pagar, Contas a Receber e Recursos de Glosa. No departamento de Contas a Pagar, já foram observados benefícios como a Padronização dos Processos de Pagamento, a Centralização dos pagamentos na Administração Corporativa, o maior controle do fluxo de caixa, a redução de riscos fiscais e do Custo Operacional, além do início do processo de “papel zero” no fluxo de pagamento.

 “Foi um processo construído a várias mãos. Foi necessário muita criatividade e trabalho em equipe. E o time respondeu! O resultado não poderia ser diferente”, conta o coordenador corporativo Financeiro, Davidson Fernando Reis Brito.

A sinergia entre os sistemas internos foi outro ganho expressivo. Com a implantação do GED Holmes (Gerenciador Eletrônico de Documentos), por exemplo, todos os documentos estão sendo disponibilizados em um único local, que funciona como repositório de arquivos, de forma a atender as exigências da Auditoria e Compliance. Isto possibilitou a validação fiscal dos cerca de 25 mil títulos mensais que a área precisa pagar, todos referentes às unidades próprias da ACSC.

Projeto Zero Glosa

Como um dos braços desse grande movimento, iniciou-se, em maio de 2018, o projeto Zero Glosa. Desenvolvido pelas áreas corporativas Financeira e de Tecnologia da Informação, com apoio da equipe de Governança de Projetos e Processo, a ação atende as Casas de Saúde da ACSC, como o HSC, CSSJ, HSI, HSJ-Tijucas, HNSC, HST, HSJ, HCNSC e HMRP.

Antes do projeto, a operação era descentralizada e os motivos de glosa não eram tratados de forma corporativa. Agora, com o projeto, acompanha-se os processos de negociação de glosas de forma centralizada e alguns critérios passaram a fazer parte da rotina da área, como:

– Acompanhamento dos processos de negociação de glosa;

– Centralização da negociação, com as informações sobre as negociações em uma base única no sistema;

– Melhorias nos indicadores de desempenho;

– Melhores práticas de conciliação entre as operadoras e a ACSC;

– Identificação do problema e causa raiz de forma ágil, tornando a resolução mais efetiva;

– Mais tempo e disponibilidade para análise de glosas;

– A equipe passou a trabalhar de forma analítica, deixando de ser tão operacional;

– Diminuição e controle de glosa (eficiência operacional);

– Surgimento de uma nova área: Não-conformidade.

“Desde a reunião inicial até a última atividade do projeto, as barreiras e impedimentos foram vencidas graças à sinergia entre os envolvidos. Utilizando as melhores práticas do PMI (Project Management Institute), conseguimos ter início, meio e fim do projeto, de acordo com o planejamento inicial e, desta forma, a ferramenta Zero Glosa proporcionou mais eficiência operacional e retorno financeiro para a ACSC”, define o analista corporativo de Projetos, Thiago Albuquerque da Silva.

A partir deste novo cenário, também foi desenvolvido o RPA (Robotic Process Automotation), primeiro no Back office corporativo. “É um robô de conciliação automática de contas a receber, apelidado como ‘Jaspion’ pela própria equipe financeira, pois a rapidez e agilidade na conciliação contribuiu em 60% do trabalho operacional. Podemos afirmar que somos a única Instituição filantrópica de saúde no Brasil que realiza a conciliação detalhada sem intervenção manual”, afirma o gerente corporativo Financeiro, Robson Ferreira de Sousa.

A ferramenta está sendo utilizada, desde maio deste ano, como projeto inicial nas Casas que possuem o sistema SOULMV e proporciona agilidade no relacionamento com as operadoras. A área tem agora como objetivo levar essa ferramenta para as Casas de Saúde do Estado de Santa Catarina nos próximos meses.

Fotos das equipes:

2019.08.12



1 Comentário

267 Visualizações

  1. Walter Andrade disse:

    Senti falta de minha marca, mas amo muito vocês em geral! Tive que voltar pra Salvador, pois a família precisa de mim, mas sinto que deixei um pedaço de mim ai com vocês. SUCESSO a todos da comunicação ao financeiro, somos os melhores!!!

Deixe um comentário :