Educação Financeira

Postado por admin

Educação Financeira já se tornou uma realidade em muitas escolas brasileiras e no Colégio Santa Catarina (CSC) não é diferente. Desde o ano passado, a disciplina é abordada uma vez por semana com todos os alunos do sexto ao nono ano do Ensino Fundamental II. O objetivo é formar novas gerações de cidadãos educados e equilibrados financeiramente, face ao desenfreado consumismo da sociedade contemporânea. Por meio do trabalho realizado na escola, as educadoras buscam conscientizar os alunos para o consumo consciente e uma vida mais sustentável economicamente. Durante as aulas, os adolescentes têm a oportunidade de refletir sobre a sua relação com o dinheiro e como poderão construí-la de maneira eficaz para estruturar o seu futuro. Indiretamente, com o trabalho dentro de sala de aula, os pais também são levados a refletir sobre as questões, pois os filhos são multiplicadores daquilo que aprendem.

No primeiro semestre, dentro da Educação Financeira, a professora Kely Zampier trabalhou a “cesta básica” com os estudantes da 8ª série. “Eu fiz uma apresentação para os meninos com um histórico da cesta básica. Assim, eles aprenderam quando e por que ela surgiu, como é calculado seu preço, os itens que a compõem e as relações entre cesta básica e salário mínimo”. A partir desse pontapé inicial, a professora pediu aos alunos que fizessem pesquisas sobre as variações da cesta básica em Juiz de Fora e em todo o país. O envolvimento dos estudantes com o trabalho foi tão surpreendente, que surgiu a ideia de realizar um gesto concreto, unindo o aprendizado em sala de aula com sua aplicação prática. Assim, nasceu o projeto “Alimentando uma família”, em que os jovens arrecadaram alimentos e montaram cestas básicas para serem doadas a famílias carentes.

“Esse trabalho proporcionou aos alunos a oportunidade de trabalhar em grupo, aprender a respeitar as diferenças e a solidarizar-se com seu semelhante”, enfatizou Kely, explicando que as doações foram entregues ao Ambulatório Nossa Senhora da Glória – administrado pelo CSC – para serem distribuídas às famílias carentes lá cadastradas. A professora lembrou, ainda, que o sucesso da iniciativa se deve também aos pais dos alunos, que se empenharam e se dispuseram a trabalhar como parceiros no projeto. Com as arrecadações das quatro turmas de 8ª série, foi possível montar 25 cestas básicas.

E já que o gesto solidário deu certo, por que não ampliá-lo? Foi o que fez a professora de Matemática II Rosângela Santos, que desenvolveu o mesmo projeto na 7ª série, cujos alunos estão na fase de arrecadar os mantimentos. “A educação financeira é uma necessidade da população, já que a sociedade atual incentiva cada vez mais o consumo. Cai por terra aquele ideia de que para se educar, é necessário saber mexer em planilhas e fazer cálculos. A chave da questão é a conscientização, acompanhada de mudança de hábitos e comportamentos”, garante a professora.

Um pouco mais sobre a cesta básica

Cesta básica é o nome dado a um conjunto formado por produtos utilizados por uma família durante um mês. Este conjunto, em geral, possui gêneros alimentícios, produtos de higiene pessoal e limpeza. Não existe consenso sobre quais produtos formam a cesta básica, sendo que a lista de produtos inclusos pode variar de acordo com a finalidade para qual é definida, ou de acordo com o distribuidor que a compõe. No Brasil, a
cesta básica foi criada por um decreto do governo de Getúlio Vargas, em 1938, como um dos fatores de cálculo do salário mínimo, além de ter o objetivo de atender as necessidades básicas de um trabalhador adulto.

2014.09.23



Sem Comentários

493 Visualizações

Deixe um comentário :