Dom José Roberto celebra missa de aniversário do Amparo Maternal

Postado por admin

Refugiadas de países como Angola, Congo e Nigéria, mães e gestantes atendidas pelo Centro de Acolhida do Hospital Amparo Maternal (SP) abriram a missa em celebração aos 77 anos da Instituição Filantrópica com um emocionante cântico africano, exaltando a espiritualidade e a propagação intensa do amor divino. Comovido, Dom José Roberto Fortes Palau, bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo e vigário episcopal para a região do Ipiranga, deu início, então, à liturgia especial de aniversário da Casa, comemorado no mês de agosto. “É com grande alegria que celebramos esta Eucaristia. A palavra Eucaristia significa ação de graças e nós damos graças a Deus pelos 77 anos do Amparo Maternal. É muito bom ver essas mães participando deste momento. E sabe o porquê Jesus apareceu primeiro às mulheres para anunciar a ressureição? Porque as mulheres são geradoras de vida”, ensinou o sacerdote, acompanhado do diretor eclesiástico do Amparo Maternal, Padre Dario Bevilacqua, do diácono permanente Anivaldo Blasques, da Arquidiocese de São Paulo, e do frei Valdecir Schwambach, da Paróquia São Francisco de Assis, da Vila Clementino.

A cerimônia foi acompanhada por colaboradores, terceiros, voluntários, pacientes e parceiros do Amparo Maternal. “É importante celebrar a vida e à quem dá a vida. Se o trabalho do Amparo Maternal continua, é resultado da soma de boas intenções. Esta Casa acolhe porque recebe bênçãos e consegue trazer lindas ações de cada um de nós”, comentou a diretora executiva do Amparo Maternal, Fernanda Allucci.

Sobre o Hospital Amparo Maternal

O Amparo Maternal é composto por Maternidade e Centro de Acolhida, ambas geridas pela Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC). A Maternidade, que atende exclusivamente ao Sistema Único de Saúde (SUS), realiza uma média de 600 partos por mês, sendo 70% deles partos normais. Modelo de boas práticas de Humanização para a Secretaria Municipal de Saúde, o Amparo Maternal permite que o acompanhante permaneça com a parturiente em período integral, desde a admissão até a alta da mãe e do bebê, e não apenas nos horários de visitas, podendo optar pelo auxílio de suas doulas.

O Centro de Acolhida, por sua vez, atende por meio do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), e proporciona abrigo provisório para gestantes em situação de vulnerabilidade e risco social, estendendo-se ao período pós-parto e ao filho recém-nascido. Promove trabalho social individualizado que favorece o processo de reconstrução de vida das atendidas e sua reinserção social, familiar e comunitária.

2016.08.29



Sem Comentários

780 Visualizações

Deixe um comentário :