Encontros de capacitação

Postado por admin

E as novidades não param de surgir no CRI Norte. Entre elas, está a realização da 8ª edição do ENAGE, evento voltado à disseminação de conhecimentos das áreas de Geriatria e Gerontologia e à capacitação de profissionais e estudantes dos serviços da Rede de Assistência à Saúde. O evento aconteceu em agosto e este ano teve o tema: “Saúde, Educação e Cultura: Perspectivas para um Envelhecimento Bem Sucedido”.

Na programação, além do enfoque de especialistas sobre as atualizações e inovações no tratamento de doenças, abordando diferentes meios para o cuidado ao idoso, houve também um diálogo sobre Saúde e Educação, com a reflexão dos caminhos trilhados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ao longo de seus 25 anos, de modo a contribuir com o entendimento de seus fluxos e de sua funcionalidade na Rede de Atenção à Saúde.

Durante o encontro aconteceram palestras sobre o papel da educação para o idoso, a importância de propostas em inclusão digital, de ações que proporcionem sua integração no mercado de trabalho e as relações intergeracionais, além da abordagem sobre a cultura como meio de desmistificação das velhices: estereótipos, sexualidades e marginalidades.

Saúde Mental

Já o Polo de Atenção Intensiva em Saúde Mental da Zona Norte – PAI-ZN realizou, também em agosto, o III Encontro de Atualização de Enfermagem Psiquiátrica, evento cujo objetivo é disseminar os conhecimentos na área de Enfermagem Psiquiátrica e favorecer a capacitação de profissionais e estudantes dos serviços de Saúde Mental.

III Encontro de Atualização de Enfermagem Psiquiátrica

O encontro deste ano debateu o tema “Dependência Química: Políticas Públicas e a atuação da equipe de enfermagem”, propondo uma reflexão sobre o impacto da dependência química na saúde pública e o reflexo disso nas equipes que atuam nos serviços de saúde mental no Brasil atualmente.

As apresentações do encontro foram abertas com a Coordenadora de Saúde Mental do Estado de São Paulo, Sra. Rosângela Elias, que falou sobre a “A trajetória das políticas públicas em Dependência Química no Estado de São Paulo”. Durante a exposição, a coordenadora abordou os diversos serviços oferecidos para o dependente químico atualmente e as perspectivas para os próximos anos.

Em seguida, na primeira mesa, cujo tema foi o “O impacto da dependência química na saúde pública”, a Gerente do CAPS AD Ipiranga, Sra. Raquel Cleide da Mota Carvalho, enfatizou as diversas vertentes de tratamento e a abordagem psicossocial. A enfermeira Adriana Guida e a média psiquiatra Maria Luisa Moraes de Carvalho, do Centro de Referência de Álcool Tabaco e outras Drogas (CRATOD), por sua vez, trouxeram dados dos atendimentos, a crescente procura por internações e os impactos nos serviços de saúde.

A segunda mesa, que teve o tema “O atendimento ao dependente químico nas Unidades de Urgências e Emergências”, englobou o “Atendimento em Pronto Socorro em Hospital Geral”, com Andréia Silva Magalhães, supervisora de Enfermagem do Hospital Cidade Tiradentes, que mostrou a rotina e a estrutura para o atendimento ao paciente psiquiátrico e dependente químico em Pronto Socorro de Hospital Geral, com seus limites e possibilidades.

Ana Lúcia Lopes de Souza, enfermeira do PAI-ZN, abordou os mais diversos aspectos da intervenção do enfermeiro, começando com a chegada do paciente, entrevista com família, manejo dentro da unidade de emergência, ressaltando a importância do vínculo e da empatia com dependente químico.

Por fim, a terceira mesa abordou “As vertentes de tratamento ao dependente químico. Melina Machado, enfermeira do Ambulatório Médico de Especialidades da Vila Maria – AME Psiquiatria, enfatizou os aspectos positivos da justiça terapêutica como forma de co-responsabilização do paciente no tratamento. Já Ângela Lopes Carnaiba, enfermeira do CAPS AD Sé, ressaltou o papel do enfermeiro com o paciente dependente químico em regime ambulatorial e as diversas formas de intervenção.

Como novidade em 2013, o encontro abriu um espaço para apresentação de trabalhos em pôsteres, para o qual foram selecionados 7 trabalhos voltados à dependência química nos mais diversos serviços de São Paulo.

Ao todo compareceram 149 participantes das mais diversas áreas de atuação, formação e localidades (Botucatu, Cachoeira Paulista, Mongaguá, Ubatuba, Santa Rita do Passa Quatro entre outros).

2013.10.21



Sem Comentários

501 Visualizações

Deixe um comentário :