Colégio Santa Catarina promove atividades para aprimorar o aprendizado dos alunos

Postado por admin

No último mês, o Colégio Santa Catarina realizou dois eventos pautando temas atuais e de extrema relevância para os jovens, o primeiro foi destinado à orientação dos alunos sobre crimes da internet, o segundo teve como objetivo, explicar as funções políticas de Presidente da República a Vereador. Confira abaixo o que foi discutido nas palestras.

Alunos do CSC assistem à palestra sobre crimes na internet

Pelo menos metade dos mais de 105 milhões de pessoas que estão conectados a internet no Brasil utilizam as redes sociais diariamente. Com esse contingente, não é difícil imaginar os vários tipos de crimes que acometem, a cada minuto, os internautas. Só em 2012, mais de 28 milhões de cidadãos foram prejudicados por cybercrimes. E a internet seduz cada vez mais cedo as crianças, o que é preocupante. Por isso, a equipe pedagógica do Colégio Santa Catarina (CSC) convidou a Polícia Militar realizar uma palestra orientando os alunos quanto aos riscos de se cometer e ser vítimas de crimes na rede.

O público alvo do encontro foram os estudantes da 6ª série. “É nessa faixa etária que eles começam a ter uma comunicação fácil entre os colegas nas redes sociais, mas ainda estão imaturos para perceber as consequências que isso pode trazer. E esta é a nossa grande preocupação, porque muitas vezes os alunos não têm ideia das consequências que um ato tão corriqueiro para eles, como, fazer um comentário, encaminhar alguma foto e até mesmo curtir um post”, explica a orientadora educacional Benita Costa.

Segundo o Sargento Paulo Henrique dos Santos, que conversou com os estudantes, a internet oferece várias armadilhas, mas além de vítima, é muito comum também o internauta cometer crimes virtuais, dentre eles o cyberbullying. “A nossa intenção em vir aqui no colégio é orientá-los e conscientizá-los dos riscos a que eles estão expostos ao usar as redes sociais. Nós já estamos acostumados a fazer esse trabalho preventivo nas escolas do centro da cidade, contudo, esse tema foi sugerido exclusivamente pelo Colégio Santa Catarina e nós o recebemos de forma muito feliz porque é uma palestra muito pertinente, pois há vários riscos de esses adolescentes se tornarem autores de crimes virtuais”, afirmou.

O policial garantiu que o índice de crimes virtuais nessa faixa etária de 10 a 16 anos é muito grande. “Hoje em dia vemos pais liberando tablets e smartphones para crianças com quatro, cinco anos de idade, que têm uma facilidade tremenda de aprender a usar os aplicativos. E eles acham que tudo é uma brincadeira. Eles fazem algum comentário malicioso contra algum colega e acham que aquilo não vai ter repercussão na vida deles. Contudo, para aquela pessoa que está sendo vítima, há uma situação de conflito pessoal e até mesmo psicológico, dependendo da informação disseminada”.

Foram dois dias de palestras no colégio, e o policial gostou da repercussão que o encontro surtiu entre os estudantes. “Com certeza percebi o interesse deles. Muitos alunos me abordaram e passaram algumas situações que vivenciaram na vida particular e falaram da importância dessas informações que passei , pois havia coisas que eles nunca tomaram conhecimento e não acreditavam que estavam caindo na situação de crime, não se atinavam que poderiam ser vítimas e até mesmo autores de crimes virtuais”, afirmou o sargento.

 

Núcleo Cultural Madre Regina promove evento para esclarecer e debater questões políticas

Alunos do Ensino Médio, ligados ao Núcleo Cultural Madre Regina Protmann, participaram de um evento sobre política, no dia 17 de outubro, comandado pelos professores Leandro Almeida (História) e Márcio Lavorato (Geografia). A proposta geral do encontro foi esclarecer sobre as funções políticas do Presidente da República, governadores, senadores, deputados federais e estaduais, bem como dos prefeitos e vereadores. Os professores fizeram ponderações para que os alunos pudessem compreender e terem o discernimento necessário sobre a ‘POLÍTICA’ para evitar a alienação.

Para explicar a iniciativa, Leandro citou o filósofo Mário Sérgio Cortella. “Os gregos chamavam de ‘política’ aquela pessoa dedicada aos assuntos da polis, portanto, às discussões coletivas. Essa questão foi o fio condutor de nosso trabalho, pois tivemos a pretensão, no processo de construção coletiva, de levar os nossos alunos a um mergulho profundo nos assuntos da política como forma de ampliar o exercício da cidadania”.

A participação dos estudantes foi um dos pontos altos do encontro. “As minhas colocações e as do professor Márcio foram dialogadas constantemente com os alunos que apresentavam suas dúvidas e enriqueciam o evento com outras contribuições. O debate foi intenso e nós, professores, tomamos cuidado para evitar ideias unilaterais e simplistas a respeito das propostas dos candidatos”. Leandro explicou também que foram discutidas as plataformas políticas dos três principais candidatos às eleições presidenciais de 2014: Dilma Rousseff, Marina Silva e Aécio Neves.  E o debate circulou sobre os temas de Saúde, Educação, Moradia, Segurança Pública, entre outros.

Márcio Lavorato destacou a importância de conhecer diferentes pontos de vista e fez um alerta sobre os problemas do voto nulo e da descrença na política como forma de transformar a História.  O evento terminou com uma provocação do professor Leandro, estimulando os alunos presentes a exercerem, em 2015, um projeto político e social junto à Câmara Municipal de Juiz de Fora, visando a atender os interesses da população.  Na avaliação do coordenador do Núcleo Cultural, o encontro foi um sucesso.  “Mais uma vez pudemos constatar que os alunos do CSC são extremamente críticos e preocupados com mudanças que também devem partir de todos nós para ampliarmos mais a cidadania”, avaliou Leandro.

Um pouco mais sobre o Núcleo Cultural Madre Regina Protmann

Criado no início de 2002, o Núcleo desenvolve trabalhos interdisciplinares com alunos do 9º ano à 3ª série do Ensino Médio.  Em linhas gerais, os projetos se dividem em quatro áreas: núcleo de fé e política; núcleo de teatro; núcleo de artes plásticas e literatura; e núcleo de cinema e produção de documentários. “Nosso objetivo é fazer nossos alunos estarem antenados aos temas de atualidades que circulam o Enem. Queremos transformar, a cada dia, o Colégio Santa Catarina em um espaço dialógico, levando todos a pensar sobre os processos políticos e discutindo alternativas para o mundo atual”, explica o professor Leandro.

As quatro frentes de trabalho se reúnem no colégio, nas tardes de quarta-feira e os alunos, a partir do 9º ano, podem se inscrever voluntariamente, mas com limite de dez alunos por núcleo. A limitação, segundo o supervisor, é para não cair o rendimento, pois ele acredita que com muita gente não há produtividade. “Prefiro trabalhar com um grupo reduzido, porém interessado, que fará o trabalho render e depois disseminá-lo na escola. A maior propaganda que a escola pode ter é o trabalho sério, ético e feito pelos profissionais da Casa. E é o que acontece hoje na realidade do Colégio Santa Catarina: nós temos uma procura intensa de pais querendo matricular os filhos e também de profissionais que querem trabalhar aqui. Hoje o colégio tem uma vitrine cujo diferencial é não abrir mão de princípios como a disciplina, o respeito ao próximo e a humildade dos interlocutores, pois no Colégio Santa Catarina todos temos uma generosidade acadêmica de aprender sempre”.

O último evento do Núcleo foi a Noite Cultural, marcada para o dia 23 de outubro, no Salão de Esportes do colégio. O tema deste ano foi “50 anos do Golpe de 64 e a Ditadura Militar”.

2014.10.30



Sem Comentários

482 Visualizações

Deixe um comentário :