Best-seller da literatura húngara é tema de trabalho em classe no CSC-MG

Postado por admin

Um best-seller da literatura infanto-juvenil húngara foi utilizado pelo professor Fernando Martins para desenvolver uma atividade de leitura e compreensão de texto com alunos do 9º ano do Ensino Fundamental, do Colégio Santa Catarina de Juiz de Fora (MG). A obra “Os meninos da rua Paulo”, de Ferenc Molnár, foi adotada como livro paradidático para a disciplina de Literatura. O objetivo do professor com o trabalho foi desenvolver a habilidade oral dos estudantes, a capacidade de síntese e a desenvoltura deles ao se expressarem em público.

“O livro é um clássico da literatura universal que reúne características de uma obra que forma cidadãos e, principalmente, leitores. Além disso, a escrita de Molnár resulta em um romance delicioso, escrito com graça e com grande compreensão do universo dos adolescentes. A narrativa ágil e os conflitos próprios dessa fase da vida (adolescência) são fatores que chamaram a atenção dos alunos, resultando em uma identificação imediata com a obra”, explica o professor.

Com mais de um milhão de leitores e 800 reimpressões só no Brasil, ‘Os Meninos da Rua Paulo’ é um clássico por excelência. Pelo caráter universal e pela alta qualidade literária, mantém-se capaz de atingir um vasto público ao longo de décadas. A história dos garotos que defendem o ‘sagrado grund’ – um pedaço de terra que serve de palco para as brincadeiras – já teve algumas adaptações para o cinema. No livro, o espírito de amizade, aventura, união e heroísmo faz com que várias gerações se identifiquem com a narrativa. O que era brincadeira de criança transforma-se num belo retrato da infância.

Após a leitura da obra, Fernando pediu aos alunos que, divididos em grupo, abordassem os seguintes aspectos da narrativa: justiça e coragem, imaginação, liderança e estratégia diplomática, injustiça, decepção do líder, coragem x impulsividade, guerra, heroísmo, soluções para evitar conflitos, códigos de guerra, desrespeito aos códigos de guerra, amadurecimento na formação de um herói, força bruta e justiça institucionalizada, leis escritas e não escritas, o livro como mediador simbólico, além do prefácio e do posfácio do livro. “Os alunos abordaram esses temas da maneira que acharam melhor e depois apresentaram os trabalhos para os demais colegas”, comenta o professor.

O professor Edson Munck, coordenador de Língua Portuguesa do CSC-MG, foi convidado por Fernando para assistir a algumas apresentações e achou uma experiência enriquecedora perceber as capacidades que os estudantes trazem e desenvolvem na escola. “A sensibilidade com que o escritor Ferenc Molnár produziu a obra, no começo do século XX, foi captada pelos discentes. Tal como na obra, os meninos e meninas do 9º ano empreenderam uma leitura do ‘mundo adulto’ com os olhos juvenis nas reflexões que apresentaram”, comenta.

2017.08.21



Sem Comentários

363 Visualizações

Deixe um comentário :