Aulas de ginástica da OSSC melhoram qualidade de vida dos moradores do Bairro Jardim Casablanca

Postado por admin

Desde o fim do ano passado, os usuários da Obra Social Santa Catarina (MG) contam com mais uma oficina: Ginástica e Alongamento. Com dois encontros semanais para cada turma, os participantes fazem alongamento, fortalecem os músculos do corpo e trabalham o equilíbrio. O objetivo é melhorar a qualidade de vida, pensando, além do bem-estar físico, no lado psiconeural.

A coordenadora da OSSC, Carla Cristina Silva conta como os professores trabalham atividades que levam os usuários a reviverem brincadeiras da infância, como amarelinha e morto vivo. “Tudo isso, somado aos demais exercícios, ajuda na mudança de hábitos posturais incorretos praticados no dia a dia. E o que percebemos é que a oficina de ginástica e alongamento acaba por proporcionar uma convivência social mais ampla, melhorando, de forma geral, os aspectos físicos, emocionais e cognitivos de quem a pratica”.

Qualquer pessoa que tenha mais de 14 anos e seja residente do Bairro Jardim Casablanca, onde está situada a Casa, ou dos arredores, pode participar da oficina de ginástica. A única exigência é que apresente um atestado médico. “A maioria passa por avaliação médica aqui mesmo na Obra, com os médicos que prestam atendimento na Casa. Pedimos que sejam informadas eventuais restrições e/ou doenças que a pessoa possa apresentar, como artrose, labirintite, sobrepeso, para ajudar o profissional a direcionar o exercício e, até mesmo, ter um cuidado maior com certas limitações”, completa Carla.

Sebastião Francisco da Costa, de 75 anos, e a esposa, Deusuíta Gonçalves, de 67 anos, são alunos assíduos e, com pouco mais de três meses de ginástica, já contabilizam os benefícios. “Eu tenho artrose nos dois joelhos e, com a ginástica, minhas dores diminuíram muito. Eu não conseguia agachar e agora já me movimento mais”, conta dona Deusuíta.

Mas não são só os alunos que colhem bons frutos. Paulo Lucas, estudante do sétimo período da faculdade de Educação Física e responsável pelas aulas, conta que doar um pouco do seu tempo para o trabalho voluntário é algo que não tem preço.

2017.05.15



Sem Comentários

265 Visualizações

Deixe um comentário :