ACSC celebra os 20 anos da beatificação de Madre Regina e a chegada das irmãs

Postado por admin

No mês de junho, a Associação Congregação de Santa Catarina tem muito a comemorar e se orgulhar. Duas histórias inspiram o trabalho realizado, diariamente, aos 14 mil colaboradores da ACSC. No dia 13 de junho, celebramos 20 anos da beatificação de Madre Regina, testemunho reconhecido e acolhido pela Igreja Católica, como um caminho claro e concreto de serviço aos mais necessitados, dedicados com todo o seu coração, à obra de renovação da Igreja, entre os séculos XVI e XVII.

Devota de Santa Catarina de Alexandria, Madre Regina cultivava uma intensa vida de oração junto com suas companheiras. Seu modo de viver e o testemunho de sua vida foram cativando outras jovens e a comunidade cristã. Tinha um lema de Vida: “Como Deus Quer”. Regina faleceu no dia 18 de janeiro de 1613 e sua obra se expandiu por diversos países e perdura até os nossos tempos.

“A Beata Regina Protmann, Fundadora da Congregação das Irmãs de Santa Catarina, proveniente de Braniewo, dedicou-se com todo o seu coração à obra de renovação da Igreja entre os séculos XVI e XVII. A sua atividade, que brotava do amor a Cristo acima de tudo, desenvolveu-se depois do Concílio de Trento. Ela inseriu-se ativamente na reforma pós-conciliar da Igreja, realizando com grande generosidade uma humilde obra de misericórdia. Fundou uma Congregação que unia a contemplação dos mistérios de Deus ao cuidado dos enfermos nas suas casas e com a educação das crianças e da juventude feminina. Dedicou uma atenção particular à pastoral das mulheres. Com abnegação, a Beata Regina abraçava com o olhar clarividente as necessidades do povo e da Igreja. As palavras: «Como Deus quer» tornaram-se o mote da sua vida. O amor ardente levava-a a cumprir a vontade do Pai celeste, a exemplo do Filho de Deus. Ela não temia aceitar a cruz do serviço quotidiano, dando testemunho de Cristo ressuscitado. ”  (Papa João Paulo II – Homilia – Varsóvia, 13 de junho de 1999)

Também nessa semana, no dia 16 de junho, comemoramos a chegada das primeiras irmãs no Brasil. As irmãs da Congregação de Santa Catarina chegaram a cidade de Petrópolis (RJ), em 1897, para plantar essa semente da caridade. Irmã Rosa, Irmã Irmengard, Irmã Daria e Irmã Crescência vieram a pedido do Frei Ciríaco, frade Franciscano, com a responsabilidade de cuidar da educação de meninas, filhas de colonos alemães. A vinda da Alemanha para o Brasil, não foi fácil.  Nas cartas, as irmãs revelam suas dificuldades e, principalmente, as alegrias de saírem de sua terra natal, com o intuito de cumprir a missão:

“Eu mal posso imaginar a alegria que vou sentir quando os nossos pés pisarem o chão da nossa nova Pátria… Já nos contam coisas bonitas de lá, e como as crianças esperam pelas Irmãs. Oxalá possamos corresponder a todas as expectativas e trabalhar muito para a glória de Deus e para o bem do próximo”. (Ir. Crescência a Frei Ciríaco – 1 de junho de 1897)

 No Brasil, iniciaram o trabalho em uma casinha alugada e logo o número de alunas foi aumentando, precisando de um local maior para acolhê-las. Começaram com 7 alunas e, ao final do ano, já eram 105. Sementes plantadas, frutos colhidos…

Nesses 20 anos de comemoração da beatificação de Madre Regina, força e coragem iluminem nossos olhares que acolhem, cuidam e amam. Desejamos, também, que a dedicação dessas primeiras irmãs da Congregação, que chegaram ao Brasil, inspirem nosso compromisso junto às obras profundamente inspiradas pela missão, acolhidas e assumidas com tanta coragem e determinação.

2019.06.11



Sem Comentários

172 Visualizações

Deixe um comentário :