ACSC adere ao movimento “Acesso à Saúde – Meu Direito é um Dever do Governo”

Postado por admin

As redes de saúde sem fins lucrativos voltadas ao SUS (Sistema Único de Saúde) vêm enfrentando dificuldades financeiras, em todo o Brasil, devido à falta de repasses por parte do poder público e em razão da desatualização da tabela SUS, que cobre apenas 60% do custo real dos procedimentos. Ao longo dos anos, essa situação tem se agravado, levando muitas instituições a um processo gradativo de falência e colocando em risco a qualidade dos serviços prestados. Com o objetivo de chamar a atenção da sociedade para este problema, assim como buscar uma solução para a sobrevivência das Santas Casas e hospitais filantrópicos no SUS, com base no equilíbrio econômico e financeiro e recursos que garantam a qualidade dos serviços prestados, a Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos (CMB) criou o “Acesso à Saúde – Meu Direito é um Dever do Governo”, um movimento nacional que conta com o apoio das 50 maiores Santas Casa e hospitais filantrópicos no Brasil.

A Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) apoia este movimento. Somente com as Casas de Saúde administradas pela entidade, que prestam atendimento ao SUS, o Governo tem uma dívida significativa que prejudica a gestão sustentável praticada pela ACSC e impossibilita um aumento maior no número de pacientes atendidos pela Instituição. Para promover o movimento e a reflexão sobre o tema, as Casas e a Administração Corporativa participaram do Dia D em Defesa da Saúde.

No dia 29 de junho, todas as entidades ligadas ao movimento realizaram o “Dia D em Defesa da Saúde”, uma grande ação em todos os municípios de conscientização e discussão com a sociedade sobre a realidade das Santas Casas e hospitais filantrópicos. De acordo com estudo realizado pela CMB, da rede que abrange 2.100 hospitais filantrópicos, indispensável para o país, 83% funciona com prejuízos crescentes. Além disso, a defasagem na tabela do SUS e mecanismos de remuneração ultrapassados produziram um rombo de aproximadamente R$ 17 bilhões entre as entidades. No dia 13 de julho a ação foi voltada a todos os Estados brasileiros com uma apresentação do panorama estadual e nacional da situação das Santas Casas e hospitais filantrópicos.

No dia 4 de agosto será realizado o Dia D da Saúde no âmbito nacional em Brasília, cuja expetativa da CMB é ter uma maciça participação da sociedade civil (prestadores de serviços, usuários do SUS, profissionais de saúde, secretários municipais e estaduais, parlamentares e demais órgãos públicos), haja vista que as autoridades precisam perceber o impacto na cadeia produtiva de valor do setor de saúde filantrópico não somente no atendimento hospitalar e ambulatorial, mas também na geração de emprego e renda.

2015.07.24



Sem Comentários

434 Visualizações

Deixe um comentário :