2º Simpósio de Farmácia Hospitalar da ACSC debate desafios da área

Postado por admin

Em sua segunda edição, o Simpósio Serrano de Farmácia Hospitalar da Associação Congregação de Santa Catarina firma-se como evento relevante da área no estado do Rio de Janeiro. Idealizado para homenagear os profissionais de farmácia pelo Dia Internacional do Farmacêutico em 25 de setembro, o evento aconteceu no Salão Nobre do Hospital Santa Teresa (RJ) e foi disputado, lotando o local.

Inscritos de diversas cidades do estado, como Petrópolis, Teresópolis, Três Rios, Rio de Janeiro, Niterói, Maricá, Cabo Frio e Itaocara, prestigiaram o evento. A abertura foi realizada pela Gerente Corporativa de Suprimentos da ACSC, Daniela Eugênio. “Temos grandes desafios em nossa área e muitos serão apresentados neste Simpósio. Temos que superá-los utilizando a tecnologia a nosso favor, sem esquecer da sustentabilidade do negócio”, ressaltou.

A Dra. Maely Peçanha Fávaro Retto, Presidente da Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar, farmacêutica do INCA e do Hospital Municipal Salgado Filho, destacou a importância do Simpósio da ACSC. “Os farmacêuticos não têm muitas oportunidades de capacitação fora das grandes cidades e congressos que acontecem a cada dois anos. Então, quando um hospital do porte do Hospital Santa Teresa resolve fazer um simpósio para discutir gestão, indicadores, qualidade no atendimento, isso enriquece muito o trabalho dos farmacêuticos, da equipe multiprofissional e, consequentemente, dos pacientes”.

O grande desafio

E foi a Dra. Maely quem iniciou os trabalhos apresentando os desafios na Gestão da Farmácia Hospitalar. “Estamos em um desafio global da Organização Mundial de Saúde e da Aliança Mundial para a Segurança do Paciente em relação à diminuição dos erros de medicação”, pontuou. “Temos ainda muitos pacientes que sofrem danos e até vão a óbito por conta desses erros, então é um trabalho diário, estamos conseguindo convencer as equipes e os pacientes, envolvendo todo mundo neste desafio”.

 Segundo dados de 2018 do Instituto para Práticas Seguras no Uso de Medicamentos (ISMP) pelo menos uma morte por dia nos Estados Unidos é causada por erro de medicação que causam danos em aproximadamente 1,3 milhão de pessoas anualmente. “Porém, os erros de medicação são evitáveis e provocados, em grande parte, por falhas nos processos de cuidado, portanto o desafio da OMS é promover mudanças que resultem na redução em 50% desses números ao longo dos próximos cinco anos” explicou Maely.

A especialista em Farmácia Clínica, Farmácia Hospitalar e Prescrição Farmacêutica e mestre em Ciências da Saúde e Ambiente, Talita Barbosa Gomes trouxe o tema “Gestão da Farmácia Clínica: Por onde começar?”.

Dando continuidade ao assunto, Carolina Figueiredo Freitas focou sua palestra na “Gestão de processos e automação hospitalar”, demonstrando como facilita a atuação da Farmácia Hospitalar quando os fluxos e os processos são bem definidos e também os benefícios ou não da automação na área, ressaltando a importância da capacitação da equipe de farmácia (farmacêuticos e auxiliares) como instrumento chave para garantia de melhores práticas e melhor uso da automação.

Indicadores e liderança

Após a pausa do almoço o tema foi “Ferramentas de gestão: Indicadores”, trazido pela Dra. Daniela Siccardi Menezes, médica ginecologista e obstetra, gerente Regional de Qualidade e Segurança do Paciente da ACSC, especialista em Melhoria Contínua, mestre em Saúde Pública e doutora em Medicina. “Só sabemos se houve uma melhoria se medirmos, mas temos que medir da forma correta e transparente. Também não basta medir sem agir em prol da melhoria, senão teremos apenas um monte de números”, ressaltou.

Fechando o dia, Henrique Saeta, levou para os presentes a dinâmica palestra “Farmacêutico líder e gestor: O papel do farmacêutico na farmácia hospitalar” lembrando da importância da liderança em todo o processo e o quanto “um bom líder agrega valor a sua equipe e, consequentemente, melhora a entrega do serviço aos pacientes” lembrou o administrador e gerente Regional de Gestão de Pessoas da ACSC, especialista em Transformação Cultural e Coach Executivo.

 O evento agradou aos presentes, como relatou a farmacêutica petropolitana, Adrini Moura Araújo, 29 anos: “Foi muito enriquecedor! Acrescentou várias ideias, principalmente sobre a gestão que temos que ter dentro da nossa farmácia. Como foi dito na palestra, temos que focar no paciente e, o medicamento, é o nosso meio para isso. O objetivo não é só dispensar a medicação, mas sim oferecer um resultado melhor para o paciente”, aprovou.

Feliz com o resultado positivo, a organizadora do Simpósio, Lívia Leite Alves, gerente Regional de Suprimentos da ACSC, fez um balanço desta edição e confirmou a próxima para 2020:

“Conseguimos atingir o objetivo de trazer uma noção de ferramentas de gestão da Farmácia Hospitalar com farmacêuticos atuantes no mercado e, para os estudantes e aqueles que ainda não atuam na área hospitalar, mostrar uma visão do que é necessário ter como competências, habilidades e atitudes para ser um bom gestor e líder dentro da área de Farmácia, pois é uma posição inerente em nossa profissão. Oferecemos tanto informações técnicas quanto de gestão, com palestrantes experientes que apresentaram seus temas de forma brilhante, enriquecendo a todos nós presentes”, finalizou Lívia.

Fotos do Simpósio:

2019.10.01



Sem Comentários

59 Visualizações

Deixe um comentário :