18 de janeiro é dia de celebrar Madre Regina Protmann

Postado por admin

No dia 18 de janeiro é comemorado o Dia de Madre Regina Protmann, fundadora da Congregação das Irmãs de Santa Catarina de Alexandria. A filha de Peter Protmann e Regina Tingels nasceu em 1552 e aos 19 anos já direcionou a sua vida para a religiosidade. Com isso, tornou-se, ao longo dos anos, uma personalidade católica muito admirada pela sua bondade, força e amor ao próximo. No seu íntimo, Regina tinha muito de Santa Catarina e, por isso, decidiu seguir os mesmos passos dela, em total adesão a Jesus.

Nós separamos algumas curiosidades e fatos históricos para que você possa conhecer um pouco mais sobre a biografia de Madre Regina:

– Nasceu em Braunsberg, hoje Braniewo, na Polônia, em uma família burguesa católica;

– Aos 19 anos, deixou o conforto de sua casa e passou a assistir os doentes de sua cidade;

– No mesmo período, também renunciou a um vantajoso casamento;

– Optou por um jeito contemplativo de viver a oração. Saiu do lugar comum da pieguice e revelou que a fé deve se concretizar em obras;

– Entendeu desde cedo que vida sem compromisso com o Bem Maior se torna vazia e sem sentido. Desenvolveu a prática da contemplação na ação, algo incomum para as congregações femininas de sua época;

– Junto a duas companheiras, foi morar em uma casa humilde, para viver em oração;

– Em penitência, aguentou a pobreza para servir Deus no amor ao próximo;

– Com isso, além dos doentes, auxiliava pobres, marginalizados e meninas abandonadas e carentes de instrução, fato que levou muitas delas a seguirem seu exemplo;

– Regina criou escolas e tratava dos doentes em domicílios e hospitais;

– Fundou em 1583 uma nova família religiosa feminina, a Congregação das Irmãs de Santa Catarina;

– A Congregação difundiu-se na Polônia e na Lituânia e, depois, também na Finlândia, Rússia, Inglaterra, Brasil, Alemanha, Itália e Togo.

Madre Regina faleceu em 18/01/1613, mas o legado deixado por ela é inegável. “Madre Regina é um ícone da fé. É um exemplo real de que a humanidade não está perdida e de que jamais podemos perder a esperança, sobretudo em tempos muito difíceis. Sua esperança está naquele que superou toda dificuldade e revelou sua força maior na extrema fraqueza e fragilidade. Então, todos podemos”, explica o Coordenador Corporativo de Pastoral e Espiritualidade, Cecielio Dias Cortes.

Também podemos atribuir como patrimônio moral de Regina a motivação e essência do trabalho da ACSC. Cecielio explica que a lógica da Associação é diferente da lógica do mercado. “Aqui queremos fazer o melhor, com o que há de melhor. Trabalhamos pela defesa da vida, em todas as suas dimensões”, resume. Ele dá uma dica para que o colaborador consiga incluir no seu dia a dia a tarefa de expandir o amor de Madre Regina. “O colaborador pode colocar esse legado em prática entendendo que sua ação tem consequência para um bem maior. Ele pode contemplar sua ação como gesto da criação, porque ele é co-criador. Como diz o Papa Francisco ‘Tudo está interconectado’”, conclui.

Confira na íntegra a mensagem da área corporativa de Pastoral e Espiritualidade para celebrar a memória de Madre Regina:

As personagens bíblicas sempre foram referenciais de mulheres fortes e corajosas. No Antigo Testamento, vemos Raquel, Rute e Ester, entre outras mulheres, que olharam para o seu povo e seguiram o chamado de Deus como protagonistas da mudança profética, com o propósito de libertar o povo de alguma situação de escravidão.

 No Novo Testamento, podemos ver Maria, uma jovem com muitos sonhos, dentre eles, o de constituir uma família, conforme os costumes da época. Entretanto, se vê chamada a se tornar a mãe do Messias, o salvador prometido (segundo as Escrituras) e que viria como grande libertador do seu povo do jugo do medo e da morte. Maria não hesita em dizer “sim” ao Anjo que anuncia a sua missão, assumindo o compromisso com o seu olhar voltado para Deus. Ela se tornaria a protagonista da história que mudaria toda a humanidade.

Observamos nessas mulheres a confirmação mediante a proposta de gerar vida a partir da realidade cotidiana, sofrida, de luta pela dignidade humana. Maria é a referência mais forte de comprometimento, consciente das implicações do seu “sim”. Acreditamos que essas mulheres fortes, especialmente Maria, influenciaram no discernimento de Madre Regina e lhe serviram de motivação e exemplo na constituição da Congregação das Irmãs de Santa Catarina que, no século XVI, marcaria a história cheia de contradições pelo testemunho de luta, trabalho, oração em defesa da vida. Em seu tempo, Madre Regina atualiza a missão por um mundo melhor que tem origem desde o Antigo Testamento, passando pelo Novo Testamento, por Santa Catarina, e planta sementes que perduram até nossos dias.

Inspirada, portanto, nas mulheres bíblicas e no testemunho de Santa Catarina de Alexandria, Madre Regina Protmann alimentou-se sempre pela fé no Mistério Pascal e, por meio de sua missão, tornou-se um referencial, um sinal evidente do feminino Amor de Deus (cf. Is 49,15 e Lc 1,78) e exemplo para nós. Ela seguiu confiantemente, em sua juventude, o chamado de Deus para cumprir a missão que lhe foi confiada.

Neste dia, o convite de reflexão é para que, olhando para Madre Regina, possamos ser por ela inspirados na missão que cada um de nós recebemos, e consigamos dar melhor de nós para transformar as realidades de egoísmo, de dor e de sofrimento em realidades de vida, de amor e de fraternidade.

Madre Regina, inspiradora de nossa missão, esteja conosco em todos os momentos, ajudando-nos a cumprir o projeto de Jesus de conceder a todos uma vida plena e abundante.

Madre Regina Protmann

2019.01.11



Sem Comentários

236 Visualizações

Deixe um comentário :